Carteira E: como tirar e quanto custa?

carteira E

Alcançar a carteira E como categoria de muitos é o grande sonho dos amantes das estradas. Especialmente para quem trabalha no ramo de veículos, a ideia é sempre galgar degraus que culminem na adição da categoria E na Carteira Nacional de Habilitação. Afinal, essa adição de categoria pode abrir muitas portas no caminho logístico. Talvez essa seja a principal porta de entrada para o ingresso nas principais transportadoras do país.

Entretanto, apesar de ser muito importante, sonhar com esse dia não é suficiente. A prática exige um passo a mais de quem deseja trabalhar com esse diferencial. Por essa razão, todos devem saber o que realmente significa ter carteira E e que diferenciais isso trará.

Para isso, elencamos aqui as principais dicas e informações sobre a Carteira E.

O que é Carteira E?

A Carteira E é colocação TOP no ranking das classificações de habilitação de trânsito. Ela é o último degrau da escada da habilitação e, portanto, é perseguida por todos que estão envolvidos no ramo da logística, especialmente na condução de veículos.

Possuir a categoria E na CNH dá ao condutor algumas validações. Além de poder conduzir os veículos elencados nas demais categorias de B a D, os condutores que possuem essa categoria podem dirigir veículos com unidades acopladas com peso superior a 6 toneladas. Nesse campo estão enquadrados veículos como as carretas, caminhões com reboques, além dos semirreboques articulados. É também nessa categoria que está elencada a possibilidade de condução de carros puxando trailers, por exemplo.

Como se Tira Carteira E?

Algumas regras são universais na hora de solicitar a emissão da Carteira Nacional de Habilitação. Seja qual for a categoria pleiteada é necessário, por exemplo, que o candidato tenha idade mínima de 18 anos, que seja alfabetizado, que possua documento nacional de identificação e Cadastro Nacional de Pessoa Física.

Além disso, os candidatos à habilitação devem se submeter a exames específicos que são da área médica e psicológica a fim de verificar se as condições de saúde permitem que o candidato em questão enfrente o trânsito. Após as comprovações da situação de saúde do condutor em potencial, o candidato se submente a aulas teóricas e práticas de preparação para a condução. Para provar que está em plenas condições, ele ainda passa por uma prova que analisa suas capacidades teóricas e práticas de conduzir um veículo.

A partir dessas informações gerais, cada acréscimo de categoria à CNH faz novas exigências de adequação. Aos interessados em tirar Carteira E, por exemplo, as regras se afunilam ainda mais. Para acrescer a categoria E, é necessário que o candidato comprove experiência prévia e habilitação nas categorias C ou D, de pelo menos 1 ano.

Além disso, a adição da Carteira E exige que o candidato tenha mais de 21 anos, faça um teste de distúrbios do sono e o exame toxicológico. Ao final da comprovação, o candidato deve fazer uma prova prática utilizando como veículo um caminhão com reboque ou semirreboque articulado. Nesse caso, o conjunto deve ter o peso mínimo de 6 toneladas. Da mesma forma, o candidato também poderá fazer a prova em questão utilizando um transporte de passageiros articulado que possua capacidade superior a 20 pessoas.

Quanto Custa a Habilitação em categoria E?

Cada solicitação de adição de categoria é feita na base de dados do próprio estado do condutor. Assim, o ideal é que a consulta dos trâmites seja feita no portal do estado de origem do motorista, a fim de que não haja nenhuma confusão com as exigências.

Quando se trata de condutores com domicílio em Minas Gerais, por exemplo, a verificação deve ser feita no site do Detran do estado. Nesse caso as informações contidas aqui têm como referência os valores e referências desse portal específico.

Em um processo comum de adição de Carteira E, o candidato deverá dispor de alguns valores. A primeira taxa já é cobra na manifestação da intenção de mudança de categoria, por meio da taxa de inscrição. Nesse momento, o valor a ser pago será de R$ 78,88. Em seguida, a emissão da Licença de Aprendizagem também exigirá um pagamento de taxa no valor de R$ 59,16.

Em seguida, o próximo passo é a realização do exame de direção ou de repetência. Nesse caso o valor a ser pago é de R$ 78,88. Logo após, o candidato a motorista deverá passar por exame médico, que custa R$ 169,28. Por fim, o candidato ainda passará pelo exame psicotécnico que também custa R$ 169,28.

Ao final do processo, sem considerar questões como necessidade de repetência ou o exame toxicológico e contraprovas, o candidato terá gasto algo em torno de R$ 555,48. Entretanto, é sempre bom estar preparado para eventuais necessidades extras, como a ocorrência de necessidade de repetência, por exemplo. Além disso, na hora de fazer o exame toxicológico vale estar atento às exigências e a pesquisa de melhor preço entre as clínicas credenciadas pelo Detran do seu estado.

Para saber mais sobre isso, entre em contato com a gente!

[]
1 Step 1
Assine nossa newsletter e aprenda a tornar sua frota mais eficiente, sustentável e automatizada!
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
Gostou? Então compartilhe!

Comments are closed.