Preço do combustível: entenda o porquê do aumento

preço do combustível

O começo de um retorno à vida normal está sendo marcado por muitas mudanças. Embora o país ainda esteja longe do resultado ideal, os índices começam a dar um sinal de melhora. Entretanto, apesar dos bons presságios, algumas coisas assustam as pessoas. As variações do preço do combustível, por exemplo, choca e até revolta alguns dos que dependem da utilização deles.

Evidentemente, a alta dos preços não está apenas ligada ao mundo pandêmico. A propósito, o histórico de variações em curto espaço de tempo já é um fenômeno bastante conhecido pelos condutores. Então, o que dita a oscilação do preço do combustível?

Para saber tudo sobre esse assunto, continue com a gente!

Composição do Preço do Combustível

A primeira coisa que se deve entender sobre a alta do combustível são os aspectos de composição do preço. Isso porque, não se trata apenas de uma decisão arbitrária dos donos de refinarias. Ao contrário, um conjunto de fatores formam o preço final.

O primeiro impacto do preço do combustível é aquele cobrado pela refinaria, que segue os padrões do câmbio internacional. Em seguida, um conjunto de acontecimentos promovem um efeito cascata que sai caro ao consumidor. Atrelado ao preço estabelecido pela refinaria estão a incidência de tributos federais tais como: Cide, Pis e Cofins.

Entretanto, as cobranças de impostos não são apenas as já cidades. Ao chegarem nas distribuidoras, os combustíveis sofra uma nova taxação. Nesse momento incide incidem sobre os produtos os impostos como o ICMS que é cobrado a partir da alíquota definida por cada ente federado.

Então, o combustível finalmente chega aos postos. Nessa hora, esse mesmo preço de combustível precisa sofrer alteração para o consumidor. Isso acontece por que os postos repassam o ICM ao consumidor do produto.

Outras Variáveis

Alguns combustíveis ainda sofrem outros impactos que resultam no aumento do preço do combustível. Quando se trata da gasolina e do diesel, por exemplo, outros fatores ainda compõe o preço final. Pois, esses combustíveis levam em sua “receita” aditivos de outros combustíveis após a saída das refinarias.

A gasolina, embora saia pura da refinaria, em momento posterior recebe um acréscimo de álcool anidro. Isso acontece na proporção de 27% por cento no caso da gasolina comum, e de 25% na gasolina premiu. Já o diesel, após a saída da refinaria, recebe ainda um acréscimo de biodiesel de 12% por cento.

Então, mais esses fatores ajudam na formação do preço do combustível. E, ao fim de tudo, os postos ainda precisam acrescentar ao preço as questões como o custo da manutenção dos postos e as margens de lucros que são a razão da existência do negócio.

Conforme os dados da Agência Brasil, em porcentagens, a formação do preço do combustível segue os seguintes infográficos.

preço do combustível

Agência Brasil

Por Que o Preço do Combustível Sobe

Depois de vários aumentos do preço do combustível no mesmo ano, os consumidores se perguntam a razão de tanta variação. Como resposta a esses questionamentos, os especialistas dizem que o momento é de recuperação mundial, mas, ainda assim, os preços do combustível no Brasil foi muito abalado com todas as questões.

Ao que parece, os valores praticados no Brasil poderiam ser mais favoráveis. Isso porque o país tem uma participação importante, e de escala importante, na produção mundial. Entretanto, o fato de a economia ser dependente do movimento de câmbio internacional, que no momento não é dos melhores, o país acaba sendo influenciado pela flutuação das taxas.

Então, por ter muitas influências externas, o preço do combustível sofre mais variações do que gostaríamos. Além disso, a incidência de impostos internos contribuem em muito para a alta do preço. E, embora mereçam uma atenção imediata, todo o cálculo deve ser cuidados, a fim de que os contribuintes não paguem ainda mais caro do que já se paga.

Dicas Para a Economia de Combustível

Já que o movimento de preço do combustível é algo que está aquém da participação dos consumidores, os usuários de combustíveis podem se precaver de outras formas. Uma boa forma de driblar a alta e variações frequentes é desenvolver hábitos que economizem combustível.

Algumas dessas ações são bastante simples e muito efetivas. Por exemplo, para aqueles que possuem carros flex, a análise da melhor escolha deve ser feita com cuidado em cada novo abastecimento. A ideia é considerar a evolução e o desempenho dos motores para descobrir qual combustível custará menos por quilômetro rodado.

Além de escolher bem o combustível, manter o carro mais leve também economiza. Assim, é importante analisar se o que compõe a carga do veículo é realmente necessário. Da mesma forma, observar as condições dos pneus também faz economizar. Isso porque a utilização de pneus descalibrados aumentam em consumo em até 2%.

Por fim, manter a manutenção do carro em dia também é uma excelente forma de driblar o preço do combustível. Nessa oportunidade é necessário verificar todos os aspectos que podem fazer aumentar o consumo.

Quer saber mais sobre o assunto? Fale com a gente!

[]
1 Step 1
Assine nossa newsletter e aprenda a tornar sua frota mais eficiente, sustentável e automatizada!
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
Gostou? Então compartilhe!

Comments are closed.