Scania 111s: conheça a história do Jacaré

Scania 111S

Um dos aspectos interessantes do mundo logístico é que não se trata apenas de um ramos de transportes. Aqueles que se interessam pela área geralmente são também amantes das máquinas que fazem a mágica acontecer. Entre os caminhões que fizeram história, está o Scania 111S, também conhecido como Jacaré.

O apelido de Jacaré surgiu por causa do seu design exterior. A combinação das linhas da cabine lembram a cabeça desse animal. Além disso, o impacto ostensivo da presença do caminhão remetem ao espírito predador dos jacarés. Assim, essas características de força são elogios tanto para os caminhões quanto para os animais. Ambos denotam a força e resistência esperadas deles.

Por si própria, a Scania já construiu uma história mundial que hoje é referência na fabricação de caminhões. Mas, além disso, caminhões como o Scania 111S foram participantes importantes na construção desse legado. Especialmente quando se trata do Scania 111s, o histórico reúne grande contribuição com o sistema logístico, e é também um clássico das estradas e uma grande paixão dos motoristas.

Conheça tudo sobre a história do Scania 111S!

Origem do Scania 111S

Há quase 50 anos figurando as estradas brasileiras está o Scania 111S. Sua primeira unidade saiu da linha de produção em 1975. Sua comercialização no Brasil data de 1976, como sucessor da linha  L110. O famoso Jacaré ganhou rapidamente o coração dos condutores e as estradas do país.

A linha 111 da Scania permaneceu sendo comercializada por seis anos, até 1981. A partir daí as o lançamento do T 112 tomou o seu lugar. Mas, como era de se esperar, ainda hoje o Scania 111S é encontrado por aí. Além de ser um clássico das estradas, é também um exemplar resistente de transpor de inumeráveis tipos de cargas.

Além da versão 111S, essa mesma família foi comercializada em outras versões. Foram comercializados, na mesma época e vertente, os modelos, L (4×2),  LS (6×2) e LT (6×4). Por causa de sua robustez, resistência e economia, tornaram-se caminhões consagrados no mundo logístico. Espacialmente o 111S, embora apresente funcionalidades e importantes evoluções, conta com uma mecânica simplificada que permite que seus modelos ainda sejam conservados atualmente.

Embora seja a parte crucial, seu funcionamento e evolução não foram as únicas características que marcaram história. Como diferencial, à época da introdução do Scania 111S, protagonizava a indústria a cor laranja. Tratou-se de um diferencial ousado e importante. Essa utilização marcou a estrada com a presença imponente dos caminhões, inclusive com os da Scania.

Características do Scania 111S

O Scania 111S fez e ainda faz história no mundo logístico brasileiro. Embora tenha sido lançado juntamente com outras versões da mesma linha, o 111S trouxe à tona o diferencial de um motor turbinado. Além dessa tecnologia ousada, o caminhão apresentou um conjunto mecânico prático, funcional e bastante efetivo. Sem falar no aspecto tecnológico que era a sensação da época.

Considerado dos mais confortáveis da categoria, esse modelo ainda apresentava outras grandes funções de otimização. Como uma das primeiras apresentações por aqui, os botões de comando já eram de fácil operação além de ser referência na diminuição do barulho. Uma parte do conforto exibido se deve ao fato de o caminhão possuir a opção de direção hidráulica e câmbio sincronizado.

De maneira geral e original, os caminhões dessa série são ocupados com um potente motor DS 11. Isso significa dizer que são 11.020 litros e 6 cilindros em linha. Sua potência é traduzida em 296 cv a 2.200 rpm e torque máximo de 111 mkgf a 1400 rpm.

O bruto Jacaré é equipado com uma caixa de câmbio de 10 velocidades. Enquanto 5 delas se referem às velocidades básicas, as demais 5 são acionadas por um botão na alavanca de trocas. E, claro, a marcha ré, que é elemento básico no câmbio.

A brutalidade do Jacaré, que ainda pode ser encontrado pelas estradas do país, também se traduziram nas especificações do eixo traseiro. Esse era o R 752, com relação 4,71:1 e pneus 11.00 X 22. Todas essas características fizeram conjunto com uma importante informação. Segundo testes da época, o Scania 111S também era econômico para o período. Seu consumo girava em torno de 1,98 km/l. Esse consumo foi testado em diferentes tipos de terrenos. A média se manteve em ambientes de relevos, subidas, descidas e demais possibilidades.

O Jacaré Vive!

A prova de que o Scania 111S foi um marco na trajetória logística está presente no fato de o veículo poder ser encontrado facilmente pelas estradas do país. Mais do que isso, é possível opções de ofertas de vendas do Jacaré entre os negociadores de caminhões.

Embora sua imponência e referência serem algo ligado ao passado, sua história ainda impacta positivamente a atualidade. E, isso tem a ver com aspectos que vão além da história. Trata-se de um rompimento tecnológico, funcional e de design, que mudou o resto da história da indústria de caminhões.

Para saber mais sobre isso, entre em contato com a gente!

[]
1 Step 1
Assine nossa newsletter e aprenda a tornar sua frota mais eficiente, sustentável e automatizada!
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
Gostou? Então compartilhe!

Comments are closed.