Custos de km rodado: como calcular

No planejamento financeiro de frotas, um cálculo específico é indispensável. Trata-se do cálculo que dá conta dos custos por km rodado. Através dele, é possível o levantamento detalhado de cada fator de gastos, além de identificar falhas, desperdícios e necessidades de avanços. A propósito, não se trata somente de quanto é gasto em combustível a cada quilômetro rodado, mas de detalhes de custos dos motoristas, pedágios e gastos de qualquer natureza. O levantamento detalhado dessas questões potencializa a busca de soluções para eventuais problemas. Mais do que isso, a consideração de detalhes de gastos também pode direcionar boas decisões por parte da gestão.

Composição do Custo Por Km Rodado

Conforme já citado acima, calcular o custo por km rodado vai muito além da análise de quantidade de combustível utilizado. Alguns aspectos da viagem impactam financeiramente na viagem e devem ser incluídos no cálculo de custo. São variáveis distintas com impactos e cálculos distinto. De maneira  geral, há dois tipos de custos a serem considerados no cálculo. São eles:

Custos fixos

Os custos fixos são aqueles que continuam a impactar o negócio mesmo que o veículo esteja parado. Normalmente, trata-se de valores que permanecem sólidos por um considerável espaço de tempo.

Como custo fixo, por exemplo, tem-se os gastos com os impostos devidos sobre os caminhões da frota. Os mais comuns são o IPVA, o DPVAT, o Licenciamento e todas as demais taxas obrigatórias pagas pelas empresas e proprietários de caminhões. Também compõe o cálculo do custo fixo o valor pago pelo seguro ou sistema de proteção do veículo.

Além disso, a depreciação também é compositora do cálculo fixo de custos por km rodado. Não apenas a depreciação conferida conforme a tabela fipe, mas, também o gasto com manutenções fixas. Outras questões podem ser consideradas, como planos fixos de telefonia e internet utilizados no veículo.

Custos variáveis

Nesta categoria estão elencados os custos por km rodado que dependem do uso do caminhão. Ou seja, que variem conforme a intensidade da utilização do veículo. É o caso, por exemplo, das manutenções preventivas para substituição de peças conforme a utilização do veículo.

Também como variável está a categoria dos custos dos pneus. Afinal, seu tempo de vida útil varia conforme a intensidade de sua utilização. Além, disso, o gasto com combustível também representa uma grade fatia dos custos variáveis. Assim também, os pedágios compõem a grade de custos variáveis.

Por fim, no rol dos custos variáveis também estão os gastos com o seguro contratado para cada carga. Da mesma forma, integram a categoria as despesas diversas da viagem, como hotéis restaurantes e outros custos dessa natureza.

Como Calcular o Custo Por Km Rodado

Normalmente, o cálculo do custo por km rodado é feito por meio de rateio. O que significa dizer que, ao fazer a conta, o gestor deve dividir o valor dos gastos do mês pela quantidade de quilômetros rodados no mesmo período. Entretanto, nos casos de pagamentos fixos anuais, o valor deve ser dividido pelos meses do ano antes do cálculo final, afinal, embora tenha sido um pagamento único, refere-se a uma utilização anual. É o caso dos impostos, por exemplo.

Entretanto, no cálculo de manutenções e pneus, o valor gasto deve ser dividido pela quantidade média de meses até o próximo investimento. O importante é que se encontre o valor gasto por mês com cada categoria, considerando cálculos mensais.

Após serem calculadas as variáveis separadamente, é necessário que se some todos os valores. Assim, tem-se o custo por km rodado de cada veículo.

Evidentemente, não é necessário que os cálculos sejam feitos considerando o espaço de um mês. Entretanto, essa é a forma mais utilizada pelos interessados.

[]
1 Step 1
Assine nossa newsletter e aprenda a tornar sua frota mais eficiente, sustentável e automatizada!
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
Gostou? Então compartilhe!

Comments are closed.